terça-feira, maio 6

Pausa

Não, não sumi assim de todo. Apenas em pausa para metabolizar horrores recentes. Horrores naturais e humanos.
Tufões, tormentas, ciclones; mortes.
Crianças violentadas, assassinadas, congeladas. Morte em vida, eternamente para algumas.

Não, não sumi assim de todo.
Apenas parada para respirar fundo, e buscar coragem para encarar tanta maldade.

Uma pausa para seguir em frente.
Infinda perversidade humana, incurável.
Vingança da agredida natureza, revide?





(Sadness - óleo sobre tela de Marleen De Waele-De Bock)

Um comentário:

Eurico de Andrade disse...

William,
Estive aqui para fazer-lhe uma visita e deixar-lhe o meu abraço. Seu blog tb está linkado lá no meu.