sexta-feira, dezembro 16

Falso-escorpião

Conhecer para proteger
Este animalzinho está na lista dos ameaçados de extinção e deve ser protegido


Foto: Wikipédia



Falso-escorpião: um aracnídeo sem ferrão
Ele mede dois milímetros e mora em cavernas.

Minha nota: Aqui em Uberlândia é encontrado também em cascas de árvores e madeiras em decomposição.


Falso-escorpião


Situado na família das aranhas, dos carrapatos e dos escorpiões, o pseudoescorpião ou falso-escorpião é um animal de oito patas diferente do escorpião “de verdade”. A diferença desta espécie para os demais escorpiões está na cauda. O falso-escorpião não possui um ferrão como os demais.

Além de pequeno (mede 2 mm), o artrópode é muito raro. Ele passa grande parte da sua vida em uma caverna e jamais sai para ver a luz do dia. O habitat ainda é repleto de fezes de morcegos que comem frutas. Para o homem não seria um local agradável, mas para ele é o seu alimento.

Outro alimento são demais insetos, que são agarrados por esta com sua pinça, que solta um veneno paralisante. Este veneno é inofensivo ao homem. O falso-escorpião precisa de apenas uma boa refeição durante o mês e corre risco de extinção por causa da destruição humana de seu habitat.

A reprodução dos pseudoescorpiões é muito interessante. Uma dança de acasalamento entre o macho e a fêmea, com a utilização das pinças. Após esta dança, ele a coloca no chão e introduz uma haste na parceira, produzindo uma gota de espermatozoide penetrada na fêmea.

Fonte: Rede Ambiente

2 comentários:

wellington disse...

achei um desses aqui na cidade de holambra estou com ele agr dentro do sala de eletrônica onde trabalho como vei parar aqui ?????????

william h stutz disse...

Se for um "desses" como disse não a nada com que se preocupar. Agora saber como foi parar ai dentro, fica difícil supor sem conhecer o local.
Talvez alguma reforma interna? Se aconteceu ele pode ter entrado de carona com material de construção.

Esse falso escorpião é fantástico e vive em colônias bem organizadas, se tem um outros terá.
É uma espécie ameaçada e rara atualmente